terça-feira, 30 de novembro de 2010

Em você


Minha amada!
Sei que não sou nada pra você,
Talvez um amigo,
Não sei,
Mas deixe-me dizer
Por que e você
Que eu tanto amo.
E em teus cabelos,
Que sinto o cheiro das flores
Em seu rosto,
A suavidade dos campos
Em seus olhos,
O brilho das estrelas
Em tua boca,
O sabor do néctar dos deuses
E em você,
Que encontro à felicidade

segunda-feira, 29 de novembro de 2010

No leito da morte


A mim resta apenas um dia,
Apenas vinte e quatro horas,
Apenas mil e quatrocentos e quarenta minutos,
Não vou nem contar os segundos,
Para que minha vida seja levada.
Fique mais um pouco,
Enxugai estas lagrimas,
Por que não choraste assim, quando ainda me restava auroras.
Deixe-me ir, olhando seu rosto, seus olhos, seus cabelos,
Sentindo seu perfume,
Deixe segurar tua mão quente, e você sentira a minha se tornando fria,
À medida que minha alma se esvai.
Não estou triste!
Pois a morte nos presenteia-a com o alivio de imaginar nossos amores da vida,
Assim morrerei fel...

Festejo á infelicidade





...Em meio a um campo vazio, um solitário castelo um tanto melancólico, celebra teu festejo a Fenris...
Venha!,hoje aqui se encontra a felicidade!_ diz um nobre cavaleiro, armado com uma rosa vermelha,tão linda como o brilho da lua naquela noite.
Ninguem se pois a ouvi-lo,um louco!,era o que diziam.
Ele nao entendia que ali,nao era local para Frey dar tua graça.
Aos uivos agourentos  das feras que rodam o castelo,ao macabro som do órgão,os convidados foram chegando, sempre julgando o nobre cavaleiro.
A mim ele não desejou paz, apenas olhou-me fixo, como se me matasse com os olhos.
Aos dentar pela emersa porta, compreendi o que falara o homem.
A felicidade estava mesmo ali, tão bela, tão esplendorosa, em graça, uma verdadeira maravilha.
Rodeada por nobres senhoras com seus vestidos luxuosos, mas nenhumas tão graciosas, quanto a que meus pés trêmulos, tentavam a me levar, e com minhas humildes mãos estendidas para beijar-lhe a dela, ela apenas saiu, como se não ouve-se ninguém a sua frente.
Apático! Triste! Desejando me a morte!
Aquele homem e um louco!
Aqui não a felicidade alguma, só a dor.
Por que ela sempre faz meu coração sangrar?
Que venha Forseti,deus da justiça,de seu veredicto.
_ aqui ficaram os puros, e aqui os imundos.
Como es um tolo Forseti,caíste na armadilha dos seus olhos,ali não a pureza alguma,e mais imunda que as águas do mar morto.
À medida que a lua cruzava os céu, os puros foram atraídos para o lado dos impuros, como se enfeitiçados por uma voz.
Só podia ser ela, a levar os homens ao pecado, e ela o anjo da luz.
Veja!
Com um grande sorriso o nobre cavaleiro, indo em direção a agregora de tua felicidade, com a rosa em mão, ele a entrega, para que ela despedace e jogue fora.
O nobre cavaleiro que gritava a felicidade, agora chora tua tristeza.
Sozinha!
Ela esta!
Chorando uma dor que ela não pensara em sentir!
Choro com ela!
Apenas por dentro, pois já cansei de derramar lagrimas por ti.
... Ao amanhecer de mais um vazio dia, caminho, por meu martírio, e o castelo se torna uma forte neblina, não resta ninguém, apenas um nobre cavaleiro chorando, com seu coração em mãos...

domingo, 21 de novembro de 2010

Enquanto seus olhos se fecham




No meu perpetuo caminho vazio, machucado por espinhos venenosos, me jogo a delírios crepusculares...
Sabes anjo!
Meu coração se amedrontou ao vê-la caída em meu colo.
Mergulhei-me em cada detalhe de teu rosto.
Enquanto você sonha  em como alcançar o infinito, eu sonho no dia em que poderei beijar teus lábios novamente.
O que teus olhos fechados vêem?, Os meus abertos, só abserva você.
Porque os deuses lhe criaram com tal perfeição?, Desculpe deusas da beleza, mas nem vós possuístes tal beleza, tal suavidade em detalhes.
Desculpe!
Sou fraco, não pude agüentar-me mais, o meu desejo me dominou, nescessitei-me de teu beijo, como um viciado precisa de tua heroína.
Por um momento pareceu que voltaria pelo meu perpetuo caminho, mas o veneno não se cura assim... Ainda vejo os seus olhos agora abertos, mas longe, longe... Longe!
Vazios!
...gritos em minha alma, condenado a um frenesi, por teu beijo, por um olhar de esperanças, apenas um sinal que reconforte minha alma novamente.

quarta-feira, 17 de novembro de 2010

Apelos,lágrimas,e dor



Veja o que acontece com meus olhos, quando olham os seus...
Minha senhora acredite em minhas palavras, elas são tão verdadeiras, quanto à luz do sol, que retorna dia após dia, para iluminar tua face.
Faça-me provar que você e a coisa mais importante em minha existência.
Não importa se me pedir que cumpra doze trabalhos, ou me peça que vague por quarenta dias no deserto, eu ficarei feliz, se no final, poder sentir seus lábios novamente.
Deixe-me segurar tua mão, e vamos correr, pelos campos, pelas montanhas, pelas flores dos jardins.
Não sou o monstro que sua mente, derrama em seu coração.
...Lagrimas!
E esta! A carta que lhe dei?
Jogada no vazio...
Me parece que só me resta,ser tua fera,minha bela.

quarta-feira, 3 de novembro de 2010

Não aprendi a te deixar- A CARTA

video
A minha fada,

Por que será que após todas as palavras não ditas, dos gestos cravados friamente, eu ainda não te deixo?
Por que os céus me castigam com este anátema ?
Me afaste da imaginação de ver teu rosto de face inocente, a cada vez que olho as estrelas, do seu olhar doce, da lembrança do seu beijo molhado naquela noite de ventos noturnos, do brilho de teus cabelos envolvidos pelo esplendor do sol.
Será que a ampulheta do meu amor já esta se esvaindo, ou nem se soabriu-se.
Por que isso não acaba?
Não me adianta entregar-me as sombras de minha alma, buscando que ela me torne gélido, é ineficaz, pois o único gelo e o que vem de você.
Vago por um caminho de espinhos e assombrado por  fantasmas de meu passado, e ando como um mendigo em andrajo, sem nenhuma perspectiva de vitoria.
A você minha doce fada, só me resta dizer-lhe que não sou capaz de encontrar o final deste caminho, nem te garanto que os fantasmas não nos atormentem, mas estou aberto a qualquer decisão, não precisa promulgar, nossos amores, mas eu te peso, não me deixe ficar sem mais um dia, sem sentir teu calor.
Eu ainda não aprendi a te deixar, porque você e a minha luz, em meio as sombras.

Em algum local, em um dia qualquer
............................. Beijos!!!