terça-feira, 19 de outubro de 2010

Dia 1- Um não começo

Ao amanhecer de mais um dia , que poderia ser lindo, se não viesse calcado delas feridas de minha noite mórbida , que sempre vêem com a dor de minha alma vazia....
.........
No baile das sombras, revestindo teus convidados com mascaras de vaidades apoteóticas.
Ela radiava um anímico pulcro, uma beleza realmente mágica, como se as estrelas brilhassem pra deixá-la mais bela.
Atravessando o salão como se estivesse a andar pelas nuvens de um seu escuro, sem nem ao menos dirigir-me o olhar, ela foi logo a se entregar a tuas fantasias carnais, e me deixando na platéia, como um expectador que e pego de surpresa pelo espetáculo.
Em uma das cenas se vê Venus , tão linda, hilariante , com teus cabelos que carregam todas as belezas do mais belo jardim, vinda em todas tua gloria.
Como ousa tocar-lhe a boca dela Venus?, já não lhe basta, ter levado um dia consigo, um pedaço de meu coração, agora queres levar a luz da minha vida.
O Mouras, sempre unidas, por visões diferentes, por que vos não cortais a linha desta devassa deusa?, mas a te vos deleitaram de ela.
Ate  tu ninfa dos campos, tão fiel ao teu amado, vos desfrutais do doce beijo, o que a levaste a este pecado?,mas não a culpo pois ninguém tens o poder de resistir ao seus olhos de mel, nem a tua boca macia suave.
Mas a ultima cena, pareceu um pesadelo mórbido, em que o ápice da cena , e meu coração , sendo cravado em uma estaca de madeira, coberta por teu sorriso sarcástico.
Como fazeis isso bardo, tu cantais aos ouvidos de minha amada, e sem ao menos tu veste os encantados de tua face e o tom de tua voz, beijas-te ela em minha frente?
Juro que se tiveste uma espada, teria a cravado em teu coração para que sofrestes a dor que senti .
Mas me faltou lagrimas para chorar a esta tragédia. Só me sobrou cair em outros braços, que pelos menos estava quente, e aquecia o frio de minha alma, e tentava aquecer meu coração.
Mas quando o espetáculo acabou, e as luzes se apagaram, seu olhar finalmente se voltou a mim, e ela veio, assim como chegou, mais ainda mais bela, pois teus olhos agora se dirigia somente a mim, e como se fosse um consolo, marcado com toques de pena, ela me beijou, me mostrando em um bilhete , um recado que dizia:
“ este e um o fim, de um não começo”.

2 comentários:

  1. Menino do sorriso bonito, não sabia que gostava das letras rsrsrsr

    ResponderExcluir
  2. Ei vc éhh grande poeta amo seus pensamentos....

    ResponderExcluir